quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

NATAL

14 comentários:

Maria disse...

Belíssimo, Ana.
Ternurento. Muito especial.
Obrigada

Beijinho

salvo disse...

Bom Natal!

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

LINDÍSSIMO!!!

O Natal é para todos, mas é sobretudo para as crianças.

À Vossa Saúde.

Hic Hic Hurra

Ana disse...

Maria:
Eu sei que tu gostas de crianças.
E já desconfiava de que irias gostar destas...

Felizes das que têm pais dignos desse nome.

Boas Festas, amiga.

BEIJINHO

Ana disse...

Salvo:
Gostei da abreviatura...

BOAS FESTAS, com um abraço.

Ana disse...

Zé, meu caro vizinho:
São realmente as crianças que melhor aproveitam o Natal.
E nós, os já crescidinhos, vivemos esta quadra com as recordações dos natais da nossa infância.
É um "filme" que se vai projectando de geração em geração, enquanto novas modas não acabarem com ele...

Suspeito que esta irá ser uma oportunidade para o meu amigo brindar...e brindar...e brindar...e brindar...

Boas Festas e cá vai: à sua!

correio-mór disse...

É triste,do que foi já nada é
Neste mundo novo nada medra
Pus o sapato na chaminé
O que encontrei foi uma pedra.

Paciência, não levo a mal
Os sonhos morrem assim
Para o ano há mais Natal
Para todos, talvez pra mim.

Um grande abraço.

Ana disse...

Correio-mór:

Eu deixei o sapatinho
Sem pedras, na chaminé.
Fui-me deitar, de mansinho,
Com a alma cheia de fé.

Mas o Menino de agora,
Avesso a bens materiais,
Em vez das prendas de outrora,
Deixou-me...vírus gripais...

Um abraço resfriado...

fiel tanoeiro disse...

Às vezes não é do frio
Talvez seja do cansaço
Não, não se deite ao rio
Tome antes um bagaço


Hic Hic como diz o outro...

pirilampo disse...

Deitar-me ao rio, essa agora,
Só se o barco for a pique
Então sim vou borda fora
Aos zig-zagues hic hic

Ao rio não caio eu,
Hic hic hic hurra!
Será que me julgam burra
Ou que a dita sou eu?

Boas ressacas!!

Ana disse...

Fiel Tanoeiro:

Ao rio, meu caro amigo?
Só ligando o esquentador.
Prefiro pôr-me ao abrigo
Dum valente cobertor.

Um bifinho... vinha bem.
Avinhar-me... vou pensar.
Talvez engula, também,
Ben-u-ron pra rematar...

Abraço com tremuras...

Ana disse...

Ó pirilampo atrevido
Que entrou pla minha janela:
Não estará entorpecido
Por uma grande piela?

Pirilampos entornados,
Eis o que não conhecia.
Ó tempos tão alterados!
Ó pobre entomologia!


Mas onde é que eu guardei a pá das moscas???

albatroz disse...

Das tremuras às ternuras
Vai um salto de uma cobra,
Cobrir-se com "coberturas"
É cura certa, é obra.


Nesta minha consoada
Não faltou o bacalhau
Amigo da rapaziada
Sem ele não há Natau.

E a música a tocar...

Ana disse...

Albatroz:
Cà por casa, no Natau,
Houve peru e canjinha.
Na véspera foi bacalhau
Com batata e uma couvinha.

Os neurónios congelaram
Por causa da gripalhada.
E como as rimas esgotaram...
Vou põr fim à desgarrada.