terça-feira, 9 de dezembro de 2008

TIREM-ME DAQUI!

Se nós temos os nossos caldinhos KNORR e MAGGI (passe a publicidade) os ingleses e afins, têm o BOVRIL.
Em cubos, sob a forma de paté e em frascos de extrato de carne.
Têm, disse eu?
Tinham.
Mas vão passar a não ter, durante uns tempos.
As autoridades mandaram já retirar do mercado todas as formas do produto, que se verificou estar contaminado por salmonelas.
O que se passa por cá, além das dioxinas na carne de porco importada e talvez na de vaca, com a mesma proveniência, ainda não sabemos.
Sabemos é que, quando não são as dioxinas são as salmonelas e quando não são as salmonelas é a peste suína, a brucelose, a língua azul, a febre aftosa e por aí adiante, que o rol é extenso.
Seja lá pelo que for, calculo que já estejam na fila de espera para retirar, a carne de frango, de borrego, de pato, de perú, (mas não antes do Natal) os ovos, o leite, os queijos, os iogurtes e os enchidos. Não esquecer nunca os enchidos.
Para já não falar nos peixes de cultura.
Que os outros também não perdem pela demora.
.
O caso é o seguinte:
Se por ventura eu deixar de aparecer por estas bandas, é sinal de que decidi ir juntar-me àquela seita de hippies alemães que vivem ao relento lá pelo Alentejo e quase só comem vegetais crus, da sua lavra.
Admito que sejam um tanto ou quanto porcalhões mas saúde diz que não lhes falta.

Para já e com a vossa licença, está-me a apetecer um desabafo:
CHIÇA!!!

***************************************

10 comentários:

salvoconduto disse...

Vá lá que aqui se respira educadamente, se fosse no meu blogue já estava a tossir, a lançar perdigotos e a mandá-los prá...calma salvo, que não estás no teu blogue, às tantas já comeste carne de porco com dioxinas...

Ana disse...

Salvoconduto:
O respirar, tentamos que seja mìnimamente educado.
O pensar é que às vezes resvala:)))

Abraço

nicolas cosi-cosi disse...

Teve a França um admirável actor chamado Bourvil que, além de talento, tinha muita graça coisa que não têm estes senhores que vendem gato por lebre e (menos ainda)os jornalistas quw se atiram a pretensas notícias como gato (outra vez) ao bofe e nos massacram com interditos que fazem de nós cadáveres iminentes.
Tudo faz mal, fumar, beber, comer, etc... Só falta obrigarem-nos a trazer na lapela os resultados das mais recentes análises.
Por este andar, qualquer dia cada um de nós mais não será do que um SIDAdão c'os pés prà cova.
E tudo a bem da Ração que é a causa das toxinas...

Ana disse...

Nicolas Così-così:
Fico envaidecida por ter aqui um Nicolas (mesmo que seja só così-così).
Lembro-me muito bem do Bourvil, pelo menos da sua Grande Paródia.
Mas, já se sabe, o Tico e o Teco (que são os meus 2 neurónios) nunca são capazes de jogar assim com as letras mesmo que eu insista com eles.
Depois de ver o Telejornal do nosso amigo Rodrigues dos Santos é que me apercebi da grande falha que tive ao omitir do meu rol a MELAMINA que tem vindo a enriquecer tantos alimentos.
Paciência.
Nos intervalos destas alegrias alimentares, sempre há a recessão, o cancro, a crise, a hipertensão, o desemprego, a diabetes, o novo canal do Benfica, a obesidade e, esta noite, a morte em directo do cidadão britânico.
Uma barrigada.
Diz que quanto maior o horror, mais as audiências se fidelizam.
Seja.
Isso do relatório médico pregado na lapela talvez deixe de ser fantasia, daqui a uns anitos.
Se bem que eu achasse mais janota uma braçadeira.

Abraço

Duarte disse...

A isto é ao que se pode chamar estar no fio da noticia.
Que passa com os alimentos?! Ultimamente as noticias são assustadoras. Até aqueles verdes prados da Irlanda parece que não o são tanto. Creio que acabaremos tomando a pastilha diária, como no Mundo Feliz de Aldous Huxley...

Um forte abraço amiga mia

Ana disse...

Duarte:
O que se passa é que há muito produtor de alimentos e rações que só vê o lucro fácil à frente dos olhos, transformando-se ràpidamente em mixordeiro.
Depois, temos as notícias hipervalorizadas para captar audiências.
E no final estão os consumidores, a levar dos dois lados.
Mundo Novo, já ele é...
Mas bem deplorável.

Abraço

N) O título da versão portuguesa para a obra de Huxley é "O Admirável Mundo Novo".
Em Espanha será ligeiramente diferente.
Ainda não está tudo completamente uniformizado.
Eu disse "AINDA"...

Cris Caetano disse...

E também vais deixar o cabelo crescer como o deles? Olha.. qualquer coisa, eu tenho pentes e escovas aqui em casa de todos os feitios e tamanhos, não é um hobbie, é que um faz um caixinho pequeno, outro maior, outro é pra praia, outro cabe na bolsa pequena rsrsrsr.

Mas o peru, não! Ainda hoje fui ao hiper comprá-lo! Há de ser recheado e comido de olhos fechados para que eu não "veja" as dioxinas hehe.

Beijinhos

Ana disse...

Cris:
Vou optar antes por rapar o cabelo, deixando só um rabichinho no cucuruto da cabeça.

E vê lá se recheias esse perú primorosamente!
As dioxinas talvez não cheguem até aí, que Yemanjá não vai deixar...

Beijinho

Luis Eme disse...

e sabe sempre bem ler os teus desabafos, Ana...

abraço

Ana disse...

Luís:
Nem sempre são muito bonitos, é um facto.
E eu tento ser comedida:))))

Abraço e um fim de semana com pouca chuva...