sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

POEIRA DE ESTRELAS

1964
ZORBA, O GREGO.
Anthony Quinn dançando o "SIRTAKI" com Alan Bates.
Música inolvidável de Mikis Theodorakis.

3 ÓSCARES:
MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA - Líla Kédrova
MELHOR DIRECÇÃO ARTÍSTICA - Vassilis Photopoulos
MELHOR FOTOGRAFIA (preto e branco) - Walter Lassally.

Lamentavelmente, o vídeo não é da melhor qualidade...

Bom fim de semana.

********************

16 comentários:

salvoconduto disse...

Vamos lá ver se este post não volta a desaparecer.

Já aqui estive e já estava a acompanhar o vídeo quando de repente desapareceu.

Vamos lá outra vez:
taram, taram, tararam
taram, taram, tararam

É assim, não é?

É melhor por-me de pé e acompanhar também os passos...

Grande filme, grande música e grande interpretação.

Maria disse...

É um dos filmes da minha vida.
Um dos melhores entre os meus 100...

Obrigada, Ana!
Beijinho

gregório peco disse...

Só pode ser imaginação nossa ou saudosismo piegas, mas parece que agora não há actores com a envergadura dos antigos nem filmes tão marcantes.
Os primeiros James Bond, no imenso S.Jorge, com a Shirley Bassey a cantar o "Goldfinger" antes do filme começar era quase arrepiante.
E o Doutor Jivago, no Monumental!
E a Julie Christie!!
E "Um Homem e uma Mulher"...

Já agora, o Anthony Quinn e o Alan Bates seriam "Um Homem e outro Homem"???

poetaeusou . . . disse...

*
neste momento
o povo grego presta
uma grande homenagem a Zorba,
não são miudos, não,
como diz a nossa imprensa,
e as nossas televisões
"calaram" as imagens,
são jovens licenciados,
que não são passivos nem
querem deixar o seu país ...
,
olha
foi o que tirei do Zorba,
e imberbe, das danças
nocturnas feitas á beira-mar,
,~
descalço ? sim descalço, até
o Botas, me dar dois pares de
Botas da . . . trops, srsrsr
,
conchinhas pedindo
tolerancia,deixo,
,
*

Ana disse...

Salvoconduto:
Atenção à perna esquerda.
Mais para trás.
Mais para o lado.
Demi-plié. Passé...
Isso. Continua. Já está muito melhor.
O YouTube tem estado do contra durante os últimos dias.

Era um rico filme, não sendo um filme rico.

Abraço

Ana disse...

Maria:
Já calculava que tivesses gostado.
É uma música que nunca mais se esquece, não é?
Pena estas imagens serem tão manhosas.
Foi o que se arranjou.
E pelo preço, não há lugar a reclamações:)))

Beijinho

Ana disse...

Gregório Peco:
PECO?
Não sei se acredite.
Mas devo dizer que fui grande fã daquele seu quase homónimo, que não era nada peco.
Já me vou lançar em buscas pelo Youtube, a ver o que se pode arranjar.

Não sei se é saudosismo e , se for, não é forçoso que seja piegas.
É sinal, pelo menos, de que o que vimos e ouvimos deixou em nós uma marca positiva.
O cinema era um ritual que se cumpria semanalmente.
Sábado à noite, de preferência.
Sem pipocas.
Sem coca-cola.
Mas usufruindo de um ecrã a que se podia chamar, com propriedade, GRANDE.
E por nós passou a época de ouro não só de Hollywood como do cinema francês e italiano, com todo o seu cortejo de grandes estrelas.
Enquanto nesse tempo havia bom cinema o ano inteiro, hoje há apenas meia dúzia de filmes, entre Novembro e Maio.
O resto são palhaçadas que nem merecem referência.

Ahhhhh, o Anthony Quinn e o Alan Bates?
"Ni rêver"...

Abraço

Ana disse...

Poeta:
Vais-me desculpar mas eu não tenho tolerância com qualquer espécie de vandalismo.
Que os jornais e televisões não dizem tudo, eu também sei.
Não dizem, por exemplo, quais os partidos, além dos anarquistas, que, aproveitando o descontentamento popular, estão por detrás dos tumultos.
Protestos e manifestações até EU tenho direito a fazê-los, de forma civilizada.
Já se resolver pegar o fogo ao carro da vizinha da frente (e vontade, às vezes, não me falta)...

Por mim, aquilo ia tudo à mangueirada, para refrescar os ânimos...
Mas, às tantas, as mangueiras já não chegam para apagar os fogos ateados...

Ah, amigo, meteste-te comigo, olha o resultado:))

Abraço (pacificador).

antónio do pireu disse...

Ana,
Já comecei a ler o livro e, se me perguntassem "GOSTASTES?", eu diria que estou a gostar muito. É simplesmente delicioso, escrita inteligente, elegante e precisa.
Tão precisa como os passos certinhos da dança do Zorba...

Duarte disse...

Como me impactou este filme!
Boa eleição querida amiga.
Recordar é viver, obrigado...

Um grande abraço

Cris Caetano disse...

Filmão! Música magnífica!

Ah, bobagem...a imagem? Dá pra assitir, dá sim!

Beijinhos e bom fim de semana

Ana disse...

António do Pireu:
De vez em quando, uma leitura alternativa também é precisa...

Abraço

Ana disse...

Duarte:
Foi um filme marcante para quem o viu nos anos sessenta.
A RTP transmitiu-o recentemente e bem gostaria que a geração de hoje (a fatia que ainda não está embrutecida pelos chamados "filmes de acção") conseguisse vê-lo com interesse.

Abraço e um bom fim de semana.

Ana disse...

Cris:
Gostou, meu bem?
Cê é uma minina di bom gosto, ora:)))

Beijinho e bom fim de semana.
Toma um solzinho por mim...

Cris Caetano disse...

Não tinha dito, hoje consigo: um dos filmes preferidos de papai... é sim, mô bem, coisa de gente de bom gosto (nós). hehehe

Beijinhos

Ana disse...

Cris:
É isso aí!

Beijinho