terça-feira, 23 de dezembro de 2008

TEMPO DE NATAL

Também é tempo de recordar.

Pedaços de alguns clássicos do cinema, ao som de KENNY G.

HAVE YOURSELF A MERRY LITTLE CHRISTMAS!

*****************************************
(cá temos outro onde pode aparecer a frase "EMBEDDING DISABLED BY REQUEST".
Se for o caso, carregue na tecla f5, ou em ESC e, a seguir, clique duas vezes na seta do vídeo)

Decididamente, o YouTube não está imbuído do espírito natalício.

*****************************************

6 comentários:

Maria disse...

E eu, imbuída do espírito natalício, deixo-te este poema:

O Inverno

Velho, velho, velho.
Chegou o Inverno.
Vem de sobretudo,
Vem de cachecol,
O chão onde passa
Parece um lençol.
Esqueceu as luvas
Perto do fogão:
Quando as procurou,
Roubara-as um cão.
Com medo do frio
Encosta-se a nós:
Dai-lhe café quente
Senão perde a voz.
Velho, velho, velho.
Chegou o Inverno.

Eugénio de Andrade


E um beijinho...

salvoconduto disse...

Não é um dos meus preferidos, mas que toca bem, toca.

Ana disse...

Maria:
Só tu para me trazeres um poema com este encanto!
Bem sinto o Inverno a encostar-se a mim, desvergonhado e insidioso...
Tento afastar-me, mas sem resultados práticos.
Já sabemos como são certos velhos, não é verdade?
:))))
A ver se arranjo uma bebida quente que o entretenha, enquanto eu me ponho à lareira.

Gostei muito, Maria.

Beijo grande

Ana disse...

Salvoconduto:
Eu também não sou grande admiradora do homem, talvez pelo seu repertório.
Mas há excepções. Esta foi uma.
Achei uma interpreteção muito feliz do tema.

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Uma feliz Quadra
lembrando, os …
,
Tu que dormes a noite na calçada de relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento
És meu irmão amigo
És meu irmão
,
In - P. Carvalho
,
Conchinhas de Luz
,
*

Ana disse...

Poeta:
Para quem é bem formado, a preocupação com os que sofrem deve estar presente o ano inteiro.
Já o Natal são dois dias para dedicar à família em particular e aos amigos em geral.

Gosto muito de poder sentir alegria nesta quadra, enquanto posso.
Enquanto a vida não me roubar a saúde. A minha ou a de quem me é próximo.
Para tristezas, já carrego o peso da ausência dos que partiram.
Por isso, acredito que não serei pior pessoa se nestes dias fechar os olhos á maldade deste mundo.

São bonitos os versos do Paulo de Carvalho.
Mas, quando festejamos um aniversário, não temos forçosamente que sentir remorsos porque há quem o não possa fazer...

Desejo-te um Natal vivido em alegria. Ser alegre não significa ser menos solidário...

Um abraço amigo.