sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

POEIRA DE ESTRELAS

1954
NATAL BRANCO
REALIZAÇÃO - Michael Curtiz
MÚSICA - Irving Berlin
Com Bing Crosby, Rosemary Clooney, Danny Kaye e Vera Ellen.

Foi o primeiro filme rodado no formato VistaVision, num esplendoroso Tecnicolor.
Simples, despretencioso, feito para ser apenas um espectáculo próprio desta época festiva.

O tema WHITE CHRISTMAS sempre foi, desde 1995 (ano da estreia em Lisboa no cinema IMPÉRIO), a "minha" música de Natal.

E uma vez que me encontro no meio dum complicado processo de extracção de todas as pedras do sapato a fim de poder colocá-lo, bem limpinho, na chaminé, no dia 24, irei postando apenas música alusiva à quadra.

A quem passar por aqui, os meus votos de

FELIZ NATAL

***********************************

8 comentários:

Maria disse...

E eu aqui preparadinha para cantar o "White Xmas" e o vídeo não dá... diz que só a pedido...
Fazes bem em tirares as pedras do teu sapato. Eu cada vez tenho mais nas minhas tairocas...

Beijinho

salvoconduto disse...

Não consigo ver o vídeo mas pelo menos posso imaginar a bela voz de Rosemary Clooney, tenho aqui vários CD'S dela.

Ana disse...

Maria
O YouTube resolveu ficar do contra.
Já postei a solução, se voltares cá.
Temos que ver se descobrimos um produto qualquer que desfaça tanto pedregulho...

Beijinho

Ana disse...

Salvo conduto:
São as surpresas que a net nos reserva...
Tens bom gosto musical.
Também cá cantam uns disquinhos (vinyl) dela, de outros tempos.

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
vi este filme no Condes
nos anos 60, e como não
gostei do Danny Kaye,
nunca mais o recuperei,via cinco
2ªs, matinés por semana, perdi
muitos bom filmes do Danny Kaye,
porém é muito dificil eu cair
duas vezes no mesmo erro . . .
,
conchinhas natalicias, envio,
,
*

Cris Caetano disse...

Ainda bem que eu conheço o vídeo hehe. O YouTube também implica contigo? Eu já começava a achar que era pessoal hehe

Beijinhos

Ana disse...

Poeta:
O Danny Kaye era um magnífico actor, imitador, cantor e também dançava.
Foi um comediante de primeira.
Este filme não é grande exemplo da arte de representar.
Vale sobretudo pelos números musicais.

Nesse tempo em que ias a 5 segundas matinés por semana, em alguns cinemas também havia a posibilidade de se ver dois bons filmes pelo preço de um.
Aí, tirava-se a barriga de
misérias...

Abraço

Ana disse...

Cris:
Há ocasiões em que apetece mandá-lo a um sítio feio:))
E não são poucas...

Beijinho