sexta-feira, 1 de maio de 2009

OS DESÍGNIOS DE DEUS

Não há volta a dar.
Quando menos esperamos...O HOMEM PÕE E DEUS DISPÕE.
Sobretudo se está profundamente embrenhado numa campanha eleitoral.


Felícia Cabrita já devia ter reparado que aquilo ali não é exactamente "a casa da mãe Joana".
É a da mãe Adelaide, o que faz toda a diferença.
E a mãe Adelaide, por sinal (ou por inspiração divina, sei lá), soube escolher muito bem o bairro onde foi fazer a escritura da sua casinha: SANTOS.
Que "a uma boa mãe todos os SANTOS ajudam" e se o provérbio não é exactamente assim, podia e devia ser.

Isto tanto pode tratar-se dum milagre, como dum presentinho antecipado pelo Dia da Mãe.
Provavelmente, um presentinho sob a forma de milagre.
Muito ternurento, diga-se de passagem.
Abençoada mãe capaz de gabar-se, com absoluta razão, de ter gerado um filho que é um verdadeiro menino de ouro, um deus na terra.

Claro que à mãe Adelaide vai continuar a ser impossível apresentar ao fisco a sua declaração de património, já que a papelada relativa ao Imposto de Sisa, à identificação da procuradora que - segundo a escritura - representava a empresa vendedora do apartamento (a STOLBERG INVESTMENTS LIMITED, uma offshore das Ilhas Virgens Britânicas) e o certificado de Incorporação da Sociedade, com os respectivos documentos... foi um ar que lhes deu.
Paciência.
E se, de todas as escrituras daquele ano, esta foi a única que levou sumiço, segundo constatou a estupefacta notária, quem somos nós, afinal, para pormos em causa
OS DESÍGNIOS DE DEUS?

Tal sacrilégio só poderia ter lugar, eventualmente, nalgum canal de televisão que tivesse começado por pertencer á Igreja tendo vindo a transformar-se, posteriormente, num autêntico albergue de demónios.
Vade retro!!!

***********************************

20 comentários:

Duarte disse...

Que alegria!!!
Por fim, querida amiga, voltaste!
Fazias-me falta. Estive desenformado.
Espero que tudo esteja bem contigo e que sigas bem.
Não podes imaginar como desfruto com a tua ironia, tão sã, um deleite.
Hoje posso dizer que estou mais informado.

Um grande abraço com a euforia que me causou a noticia do teu regresso

Bom fim de semana

salvoconduto disse...

Salve, diz o Salvo!

Bom regresso.

Pedro disse...

Os desígnios de Deus quiseram que que voltasses o que me dá uma grande alegria.
Quanto à mãe Adelaide (nome da minha, por acaso, mas essa não tem casa em Santos) já deve estar na mira do "Messias Obama" que prometeu guerra às offshores com todos os líderes europeus a aplaudir. O que ele não contaria é que na Europa contemporânea os cavalos de Tróia fizessem a diferença...

Cris Caetano disse...

Amém! E eu rezo, rezo, tu sabes... e nada some... Há muito tempo atrás fazendo meu IRS, esqueci-me de juntar uns papéis e paguei a mais e posteriormente juntei os tais papéis e dei entrada novamente e voltei ao Brasil e até hoje não me restituíram em nadica de nada e nem irão me restituir. E ando agora a preparar o meu IRS daqui desse ano e nem ouso atrasar na entrega ou pagarei multa.

Mas na briga do rochedo com o mar, quem perde sempre é o marisco, não é mesmo?

:) Bom demais te ler de novo!

Beijão

Maria disse...

Voltas, ainda bem, e em excelente forma!
Porque será que o raio dos papéis desapareceram? LOGO aqueles?
Caraças, depois dizem que nós dizemos que isto anda tudo ligado...
Gosto tanto de te ver por aqui, Ana...
Tem um bom fim-de-semana!

Beijinhos, Ana

poetaeusou . . . disse...

*
Sininho
,
cá ou acolá . . .
estás sempre !
,
nas madraças do meu além,
aquém fica . . .
,
>>>- Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu não lhes teria dito -<<<
in ( "escrituras" sagradas )
,
bem aventurados
quem paga renda,
será deles uma nuvem do céu,
(desde que não chova)
,
vou madraçar para a madraça,
,
fui . . .
*
,

Marta disse...

Ana, na sua melhor fora :) a ironia e o humor!

Que saudades!

beijinho e bem-vinda!

Ana disse...

Duarte,
Muito bom é voltar a encontrar aqui os amigos e verificar que não fui esquecida, apesar da longa ausência.

Está tudo a voltar à normalidade e até a minha disposição já me permite ter vontade de espetar umas farpas em quem as merece...

Beijinho e um bom fim de semana também para ti.

Ana disse...

Salvo,
E Salve também para ti que foste tão lesto a aparecer!

Obrigada.

Beijinho

Ana disse...

Pedro,
Cá estamos, como dantes.

Com o cão não tem o Obama problemas. Agora com esse tipo de cavalos...
É raça que se dá bem em todo o lado...

A mãe Adelaide (não a tua) tem, ao pé da porta (na Rua Castilho), dois belíssimos cartórios onde poderia ter feito o serviço.
Mas aposto que no de Santos a esperavam outras facilidades...

É preciso é saber viver e o resto são cantigas.
Desagradáveis são depois as campanhas negras, coitada.

Beijinho

Beijinho

Ana disse...

Cris,
Pois, pois...
Aqui dizemos: "quando o mar bate na rocha, quem se lixa é o mexilhão".
Também se costuma empregar outra palavra, mas este é um lugar de respeito :)))

Quem não tem uma história triste de IRS para contar?
Só os passarões do costume...

Vai-te conformando e andando na linha para não chorares mais...

Bom estar de volta, também!

Beijinho e bom fim de semana.

Ana disse...

Maria,
Sabes que, ontem à noite, estranhei não te ver aqui a abrir os comentários como de costume.
Depois... puxei pelo Tico e pelo Teco e vi logo que seria difícil porque deverias ter ficado um tanto cansadota de andar à bolachada ao Vital, hehehehe :)))))))))))))))

Mas também foram umas bolachas tão delicadas que nem o penteado lhe desmanchaste.
Para a próxima, vê se te esmeras um pouco mais, caramba...

Beijinho

Ana disse...

Poeta,
Foi bonito teres-te lembrado do meu antigo "nick".
Isto quer dizer que já andamos por aqui há anos e a amizade, mesmo virtual, é muitíssimo reconfortante, sobretudo em determinados momentos.
E pensar que o teu primeiro comentário foi feito com sete pedras na mão...
Depois era rima para lá, rima para cá...
E cá estamos de pedra e cal.
Eu com a pedra, tu com a cal:))))

Beijinho e madraça bem...

Ana disse...

Olá Marta,
Saudades de ti, também.

É uma alegria vir aqui e voltar a ler os vossos comentários!
Bem hajas.

Beijinho

Maria disse...

Ana

Tenho pena de não ter aproveitado a confusão... que foi pouca.
Afinal apenas o "refrescaram" com alguns pingos de água num dia de imenso calor. Eu própria fiz o mesmo a mim...
:)))))))))))))))))))))
Mas devo dizer-te que não sujo as minhas mãos em semelhante verme, rastejante, e o resto que podes ler por lá...

Beijinhos, Ana
(sabes que eu perdoo quase tudo. Não perdoo a traição...)
(em nenhuma situação)

Duarte disse...

Agora e quando posso afirmar que começo a por-me ao dia: tu já te encarregas disso, e eu encantado da vida.

Agradeço as tuas palavras de consolo.

Que sigas bem.

Um abraço, grande

Ana disse...

Maria,
Sempre cá vieste responder à provocação :))))))))

Agora fico aguardando ansiosamente os próximos capítulos.
Uma campanha sem umas pêras não é campanha que se preze...

Beijinho e bom Domingo

Ana disse...

Duarte,
Uma boa noite para ti.

Abraço.

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Não se compreende.

Deve ter sido num notário privado, pois com a proibição de fumar em locais públicos a névoa que facilita o desaparecimento de documentos é inexistente nos cartórios notariais públicos.

Cá para mim, a culpa foi da senhora da limpeza que, na falta de papel higiénico e tendo sido acometida de um inusitado ataque de flatulência seguido de urgência em aliviar a tripa, teve de recorrer ao engenho para se safar.

A questão é: teria sido só engenho ou meteria o caso também engenheiro?

A dúvida persistirá para todo o sempre.

Sabe, antigamente havia um navio que se dizia que assombrava os sete mares.

Chamava-se o Holandês Voador.

Agora há um documento que assombra toda a gente: é a Escritura Voadora!

À Sua!!!

Hic Hic Hurra

Ana disse...

Zé,
É verdade e esse Holandês Voador teve direito a ser libreto de ópera de Wagner e tudo e tudo e tudo...
A escritura, sendo mais modesta(?) poderá talvez servir de inspiração a JK Rawling para novo best seller...

Tudo é possível, sem deitar as culpas para a pobre mulher a dias:)))))

À sua!