segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

NÃO HÁ PACHORRA!

Se por acaso alguém estava a pensar ler aqui outro post sobre o Freeport, desengane-se.
Não tenciono voltar a falar de outlets, de corrupções, de tios, de intrujões, de primos, de comissões, de técnicos do ICN, de demissões, de escoceses, de trapalhões, de Cândidas Almeidas, de decisões, de cartas rogatórias, de ligações, de cabalas nem de ilusões.
Tal como não vou sequer aludir a paraísos fiscais, a evasões, a campanhas negras, a simulações, a emails comprometedores, a suspeições, a favores políticos ou a tubarões.

Depois de uma semana inteirinha a levar com insídias, justificações, espertezas saloias, figurões, falhas de memória, inexactidões, presidentes de Câmara, aprovações, zonas de protecção especial, alterações, mães jeovás, diferenças de milhões, dêvêdês, pressões, depósitos à ordem e valorizações, já não há pachorra para tantas discussões.

À fava, pois, com todos os relatórios, certidões, intermediários, comparticipações, pêgêerres e respectivas considerações.
Não lhe chamaram MENINO DE OURO?
É tirarem as devidas ilacções.

*********************************

18 comentários:

salvoconduto disse...

Só espetando-lhe o dente é que eu saberia se ele é de ouro ou não, desconfiado como eu sou vontade não me falta...

Maria disse...

É verdade, já não há pachorra.
Gosto do teu jogo de palavras. Gosto mesmo. Tanto, que me apetecia continuar com... outras palavras que rimassem.
Mas por respeito a ti, digo apenas que os meninos de ouro não costumam ter... botões...

E deixo-te um beijinhos
e dois beijões

:)))

rodrigo disse...

Não está má a ideia de não querer falar no assunto...

A mim este menino provoca-me sezões.

Ana disse...

Salvo:
Mmmmm, espetar-lhe o dente... vontade não te falta...
Cala-te boca:)))

Abraço

Ana disse...

Maria:
Pois também tinha aqui mais duas ou três que gostaria de ter aplicado.
Mas...para manter o nível, evitei.
Ficam apenas a pairar no meu sótão.

Os meninos de ouro não têm "botões"?
Lá fica a peça desvalorizada, quando chegar a altura de a vender a peso...

Beijinho

Ana disse...

Rodrigo:
Pelo que se vê, este menino provoca sempre grandes emoções...
Um tanto desencontradas, é certo.
O que não deixa é ninguém indiferente.

Abraço

Luis Eme disse...

pois...

também tento não escrever uma linha sobre histórias manhosas.

abraço Ana

hermanito disse...

O único mérito do menino de ouro foi ter relegado para segundo plano o outro menino, o da bola de ouro.
Mal por mal falem de casamentos gay, ao menos isso faz rabear (salvo seja) muita gente.
Ó larila (salvo seja outra vez), se faz!

Ana disse...

Luís:
Verás como o assunto vai morrer rapidamente, como de costume.
Numa semana não se fala de outra coisa.
Na seguinte já as manchetes se ocupam de outros assuntos.
É preciso é ter estofo para resistir durante a fase pior.
Veremos como a Fátima Campos Ferrreira vai fazer o frete, hoje à noite...

Abraço

Ana disse...

Hermanito:
É uma pena que tanto ouro seja só virtual.
Já a problemática do casamento gay é mais real.
Falando nisso, eu aposto que o filme MILK vai ser um dos grandes vencedores deste ano.
Olarila!

Abraço

poetaeusou . . . disse...

*
Ana
só me apetece cantar,
serei sobrinho do Caruso ?
,
a ruela de má fama
o charlatão vive à larga
chegam-lhe toda a semana
em camionetas de carga
rezas doces, paga amarga
na travessa dos defuntos
charlatões e charlatonas
discutem dos seus assuntos
repartem-s'em quatro zonas
instalados em poltronas
é entrar senhorias
a ver o que cá se lavra
sete ratos três enguias
uma cabra abracadabra
,
In-Sérgio Godinho
,
o mar que viste no video,
é da Praia do Canidelo – Gaia,
videado no ultimo sábado,
,
conchinhas da outra banda
e ondas curtas em 47 metros . . .
,
*

Ana disse...

Poeta:
Anda por aí (em parte incerta) um 45 rpm com essa e outras três canções, de parceria com o José Mário Branco.

E por falar neste, lembro-me de que musicou um soneto de Camões (Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades), de que também se podia aproveitar um bocadinho:
.......
"Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança
E do bem – se algum houve – as saudades"...

Mas, de toda esta charlatanice, nem mágoas ficam na lembrança, que a memória das gentes é fraca...

Abraço

Cris Caetano disse...

Adoro a Mafalda!!! E ando tão sem paciência também, aff!

Beijinhos

Duarte disse...

Que bom.
até me deixaste sem respiração.

Parabéns, pela capacidade que esgrimes.

Vir até cá é estar informado.

Abraços de boa amizade

Ana disse...

Cris:
A Mafalda é terrível...
Felizmente não tem som:)

Ainda teremos muita discussão pela frente, sobre este assunto.
Depois, cala-se tudo e nada fica esclarecido...

Beijinho

Ana disse...

Duarte:
O mais provável é os jornais de Espanha ignorarem completamente o assunto.
Por cá, já começa a ser um pouco menos badalado.
Mais umas semanas e morre (de morte natural...)

Abraço

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Fantástica combinação de palavras e de verdades.

Os meus sinceros parabéns.

Dá gosto lê-la!!!

À sua, com grande admiração!

Hic Hic Hurra

Ana disse...

Caro Zé:
E a saga continua, com a TVI e o SOL continuando a bombardear o nosso primeiro com mais polémicas revelações...
Mas não há crise.
O bom povinho, embora achando que ele teve culpas no cartório, não vê razões de peso que o impeçam de se candidatar novamente, nas próximas legislativas.

À sua, que isto só com um grande pifo!