quinta-feira, 2 de outubro de 2008

PARA ALÉM DO AZUL

A morte de Paul Newman apanhou-me em fim de semana prolongado, longe do computador.
Passados alguns dias, achei que tinha passado o tempo certo para colocar aqui uma homenagem.
Ontem, entretanto, levei um simbólico puxão de orelhas de uma das minhas filhas que declarou achar imperdoável eu não ter feito aqui qualquer referência ao seu desaparecimento.

Esta é, pois, a minha brevíssima "MEMÓRIA DE SÉTIMO DIA", dita em poucas palavras, sem tristeza.

A um homem que deixou uma marca indelével neste mundo, muito para além da sua inesquecível imagem impressa no celuloide.
O sorriso nos seus olhos era uma mistura única de 3/4 de azul da Hungria com 1/4 de azul da Polónia.
Herança dos seus pais.
E, sabendo como esse azul constituía tanto do seu cunho pessoal, disse um dia entre amigos:

-"JÁ ESTOU A IMAGINAR COMO SERÁ O MEU EPITÁFIO:
AQUI JAZ PAUL NEWMAN.
UM FRACASSO ABSOLUTO, DEPOIS QUE OS SEUS OLHOS SE TORNARAM CASTANHOS"...

Por mais negro que tenha sido o seu sentido de humor, aquele azul é cor que não se apagará fàcilmente da memória de quem teve a sorte de ser seu contemporâneo.

Até porque ficou muitíssimo mais, para além do azul.

***************************************

22 comentários:

Maria disse...

Pois ficou. Para além daquele azul (e que azul!!!!) fica a memória do Homem solidário, preocupado, humano, que marcou a diferença no meio onde se movimentava.

Beijinho

poetaeusou . . . disse...

*
o ultimo couraçado,
a afundar-se,
na batalha da vida,
,
brisas nocturnas,
,
*

ana disse...

Mamã,
Não foi um puxão de orelhas, foi incredulidade e estupefacção pela ausência de um testemunho de alguém que sempre conheci "apaixonada" e fã incondicional, do especial artista de cinema. Hojefui informada por SMS, e aqui estou a verificar o Post. Lindo, Digno, e muitissimo comovedor e bem escrito. Fez-se justiça.
Obrigada
Ana Cristina

Cris Caetano disse...

Eu assisti a tantos filmes dele desde quando era pequena, que ainda suspirei muito por aqueles olhos azuis. Me lembro bem de "Butch Cassidy anda Sundance Kid", um "filmão", aliás, há muito tempo não se fazem grandes filmes.

Beijinhos

Ana disse...

Maria:
Soube marcar essa diferença sendo um homem do seu tempo mas tentando comportar-se com honestidade na sua vida pessoal. Sem complacências.

E sem pretender publicidade para os bons actos que praticava.
O que é cada vez mais raro.

Beijinho

Ana disse...

Poeta:
Senão o último, um dos melhores da sua época.

Abraço

Ana disse...

Ana Cristina:
Se não foi um puxão de orelhas já fico mais descansada.:)
De qualquer maneira, a verdade é que surtiu efeito, embora o tempo certo para escrever já não fosse este.
Basta passarem uns dias para que as palavras percam espontaneidade.
Ainda assim, se te disse alguma coisa já valeu a pena...

Um beijinho e obrigada por teres comentado.

Ana disse...

Cris:
Um western bem divertido.
E logo com duas figuras que eram um bálsamo para a vista...
Música lindíssima, também.
"Raindrops Keep Falling on My Head", se não estou enganada, levou o Óscar de melhor canção nesse ano.
Sempre me admirou ele ter sido nomeado tantas vezes (9, parece-me) e ter ganho apenas uma.
Provavelmente por ser demasiado "independente"...

Beijinho e bom fim de semana.

Duarte disse...

Era um dos mais grandes que deu o cinema mundial, e ademais uma grande pessoa.
Que descanse em paz.
Deixou-nos um grande legado...

Abraços, amiga

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Bonita homenagem.

E merecida, pelo que soube fazer em vida e pela dimensão humana que transportou para a vida fora da tela!

Onde, com os pincéis e as cores certas, também é possível deixar obra de vulto através das acções que se tomam.

E são essas que devem ser relembradas...

À sua.

Hic Hic Hurra

Cris Caetano disse...

Beijinhos e bom fim de semana.

instantes e momentos disse...

vim conhecer teu blog.Bonito, muito tudo. Gostei daqui.
Tenha um belo final de semana.
Maurizio

Ana disse...

Caro Zé:
Não sendo nenhum santo (alguns excessos eram-lhe conhecidos), conseguiu dar um verdadeiro sentido à sua vida.
É realmente isso que fará com que não seja esquecido.

Não esquecendo, claro, o seu indiscutível talento aliado a uma imagem cheia de sedução.

À sua!

Ana disse...

Duarte:
Parece ser essa a opinião generalizada:
Uma grande perda.

Mas teve uma vida longa, muito bem aproveitada.

Abraço e bom fim de semana

Ana disse...

Maurízio:
Obrigada pela visita.

Tenha um bom fim de semana.

Ana disse...

Cris:
Um belo fim de semana também para ti.
Eu estou em início de resfriado...

Beijinho

manhã disse...

continuamos a vê-lo intocável, na tela, logo é como o diamante, eterno.

Inspector Serôdio disse...

Justíssima homenagem (e belo momento de pura arte de representar).

"But for something completely different", queira passar pela Aldeia e ver o imperdível sketch para que reencaminho em blog vizinho.

Ana disse...

Manhã:
Não podia estar mais de acordo com as tuas palavras.

Beijinho

Ana disse...

Meu caro Inspector:
Acredita que, ainda ontem tinha passado por lá, seguindo o link que existe na vossa Aldeia?
Aquele vídeo é imperdível.
Bem gostaria de ter sido eu a descobri-lo:)))
Mas como a inveja não é um dos meus atributos, já lá fui deixar um comentário de apreço.

Obrigada pela chamada de atenção.
Espero que outros sigam a sua indicação (versejei).

Abraço

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Quero me desculpar pela ausência, mas garanto que foi por uma boa causa. Apareça quando puder e veja o porque da minha felicidade.
beijos cheios de luz

Ana disse...

Olá, Martha!
Saúdo o seu reaparecimento por estas bandas.
Já lá vou espreitar a sua "casa".

Beijinho