sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O MAL AFAMADO MOSQUITO DA DENGUE

Em primeiro lugar, se fosse eu a redigir a notícia, era capaz de substituír o "LEVAR" por "TRAZER".
E o "TRANSMITE" por "TRANSMITA".
Mas só devido ao meu feitio de coca-bichinhos.

Quanto ao assunto em apreço:
Diz o Dr. George que está criada uma "REDE DE VIGILÂNCIA", o que muito nos tranquiliza.
Dada a proveniência da bicheza, dei comigo a reflectir sobre o que quereria dizer o nosso inefável director-geral de Saúde, quando se referiu à tal "REDE".
.
Estará o SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) suficientemente mobilizado para actuar, assim que o primeiro mosquito cruze o espaço territorial português?
A "REDE" incluirá as tão propagandeadas câmaras de vigilância, colocadas em locais estratégicos (?) para assinalarem a presença do dengoso bicho?
Serão elas eficazes se o dito, à semelhança de outros marginais espertalhões da praça, decidirem actuar disfarçados (pelo menos com uma mascarilha adaptada ao tamanho da minúscula cabeça)?
No caso de algum ser apanhado pelas autoridades competentes (DGS), irá ser presente a um juíz sanitário que apenas lhe decretará o "termo de identidade e residência" e ele que nem pense em esvoaçar fora do limite autorizado?
Já se encontrará disponível a pulseirinha electrónica que apite de cada vez que o bichinho pousar fora da área permitida?
E, sobretudo, a delegação portuguesa da PETA estará atenta e vigilante no caso de serem feridos os direitos inalienáveis do mosquito por alguma inesperada esguichadela de insecticida doméstico?
.
Ou quando falou, distraídamente, em "REDE",
o Dr.Francisco George, no intervalo de duas fumacinhas,
referia-se concretamente a QUÊ?
.
.
Ficamos a aguardar melhores esclarecimentos, se a Crise deixar.
.
.
**************************************

18 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
agora também são as moscas ?
é pá quem me compra vinte
quilos de " hipocôndrismo "
,
já pendurei sacos com agua nas
janelas, portas, frestas,
clarabóias, já comi sopa a saber
a shelltox, penso que a panela
não tinha tampo na altura que
a terceira embalagem estava a
ser esvaziada numa hora . . .
,
e eu que pensava que o dengue
era um estilo de dança . . .
,
há . . . aquele senhor de nome
da terra da camila, não seria
altura de dar o trono a outro ?
não pode ? não faz mal...
continuo com os sacos dependurados,
,
conchinhas, sem moscas . . .
,
*

Maria disse...

Ainda hão-de dizer (se a dengue vier) que foi "importado" para fazer "estragos cirúrgicos"...

Beijinhos

Luis Eme disse...

e mudavas muito bem, Ana...

continuas a gostar de brincar com coisa sérias.

será que o bicho dengue gostará de tipos chamados "Alberto"?

abraço

Duarte disse...

Estou encantado com a perspicácia com que te enfrentas a este pessoal.
Parabéns Ana pelo bem que enfocas estes temas.
Um grande abraço

Cris Caetano disse...

Eu já sei como vai ser... Há dengue no Brasil e nós brazucas vamos passar pelo detector de mosquitos. Vai ser stressante passar pela tal rede, ah, vai!

Beijinhos e bom fim de semana

P.S.: em compensação aqui não vamos ter dengue esse ano, o calor não chega nunca, ontem de manhã foram 19ºC e hoje a média foi de 21ºC, está um frrrrrrrio.

CARTEIRO disse...

O dr. George é um homem do nosso tempo, formatado pelo Magalhães e a sobressaltar a cada choque tecnológico.
Vai daí, confia total e religiosamente na modernidade, em particular nas virtudes da NET.
Por isso, aredita que a NET resolve tudo, sendo até capaz de detectar e capturar os mosquitos portadores de dengue.
Como dizia o outro George, as redes são todas iguais, só que umas são mais apertadinhas que outras.
É este senhor que nos trata da saúde? Livra!

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

O Ministério da Saúde, através da sua mais conhecida Direcção-Geral e do não menos excelente Francisco George, criou um infalível sistema para sabermos quando chega o mosquito a Portugal, a que horas, com quem vem e durante quanto tempo conta ficar por cá.

Com efeito, à entrada de Portugal, no espaço aéreo, encontram-se instaladas várias campainhas que, quando activadas pelos mosquitos, colocam a nossa Força Aérea, em sintonia com os médicos, a cruzar os céus em busca dos mosquitos perdidos, com centenas de formulários para preenchimento por aqueles que, findos os mesmos, já nem conseguem voar, quanto mais possuem forças para entrar em território luso.

Por isso, vizinha, podemos dormir descansados.

Pelo menos até escutarmos o famoso toque da campainha: dengue dong!

Hic Hic Hurra

PS - Adorei a foto do homem a dar umas passas. Sim, pois ele é mesmo passado!!!

Ana disse...

Poeta:
Isso dos sacos com água é um grande mstério para mim.
Nunca experimentei porque não consigo encontrar quem me explique o "porquê".:)
Assim, permaneço incrédula e sem pendurar balões.
Quem sabe, se o dengue chegar...

Abraço

Ana disse...

Maria:
Estarás a falar daquele teu amiguinho da Madeira, presumo:)))
Pois, o vector anda por lá.
Mas também anda pela Ria Formosa, embora a DGS se feche em copas.
Está tudo controlado, como de costume.

Beijinho

Ana disse...

Luís:
Não estou habilitada a responder a essa pergunta.:)
Mas se ele for docinho como o bolo de mel...

Bom fim de semana.
Abraço.

Ana disse...

Duarte:
Enquanto eu tiver vontade de brincar, bem vai a coisa.
Não sei é se durará muito, pelo caminho que isto leva...

Abraço

Ana disse...

Cris:
Então é por isso que eles resolveram emigrar...
Por cá, tem estado um certo calor. Alguma chuva também.
Mas esses daí devem ser uns super-mosquitos se chegarem até cá.:))))

Beijinho e bom Domingo

Ana disse...

Caro Carteiro:
Com aquela carinha, não sei se alinho no seu parecer de "homem do nosso tempo"; se bem que quem vê caras não vê predilecções.
Deduzo também que o que se aplicava aos porcos, no tempo do outro George, se aplica agora às redes e aos mosquitos...
É, aliás, uma regra universal (com as variantes que se queiram introduzir) nas democracias actuais.

Estamos bem aviados com este director-geral, estamos.

Abraço

Ana disse...

Caro Vizinho Zé:
já andava a magicar se se teria enfiado pelo chão abaixo, evitando assim colocar a solução do enigma, lá na sua Aldeia.
Afinal, nem isso aconteceu, nem a resposta tinha o que quer que fosse de vergonhoso, como cheguei a recear...
Parece que foram mais as vozes do que as nozes.

Ainda bem que o meu amigo anda de boas relações com a DGS e sabe como funciona o sistema.
Fico assim muito mais descansada. Se estivesse à espera de esclarecimentos de Mr.George, nunca mais era Domingo (temos que arranjar umas variantes para as frases feitas, quando ditas em certos dias).

Vou ver se compro um daqueles amplificadores para "ouvir o canto dos pássaros a 90 metros - 49,oo€", no catálogo D-Mail e fico atenta ao dengue-dong.

Nem sei o que seria de mim sem estas preciosas indicações.

Desejo-lhe um fim de semana livre de toda a espécie de bicharocos.

À sua!

Ruvasa disse...

Viva, Ana!

É bem verdade que é necessário tomar cuidados que a dengue não brinca.

In the other hand, quem aguenta com um governo destes... aguenta certamente com qualquer dengue!...

Abraço

Ruben

Ana disse...

Ruben:
Não estou tão certa de que este governo, apesar de tudo, seja tão letal como pode vir a ser a picada dum mosquito portador do vírus...
O melhor seria não termos de estabelecer comparações no terreno.

Já há dois anos descobriram, na região da Ria Formosa, um que transmitia a Febre do Nilo.
Se não me engano, houve até um alemão que patinou.
E depois foi o silêncio.

Por cá, o melhor é que os problemas não batam à porta.

Abraço e bom Domingo

Carlota disse...

Estou completamente de acordo no que respeita às tuas substituições. Escreve-se cada vez pior...
Quanto ao resto, duvido que o dengue chegue a Bruxelas. Faz demasiado frio.

Ana disse...

Carlota:
Também penso que, enquanto estiveres em Bruxelas, é uma preocupação a menos que terás.
Por cá é que o clima tem vindo a aquecer. Os Invernos são muito mais temperados, quando chove fica até uma temperatura amena.
O mosquito, aí... agradece.
Já existe o vector na Madeira e no Algarve.
O que ainda não há é hospedeiros infectados (que se saiba).
Mas a DGS está atenta.
Podemos dormir descansados...

Beijinho