quarta-feira, 15 de outubro de 2008

A MINHA CASINHA

Quando se levantou a hipótese de Pedro Santana Lopes poder vir a concorrer novamente à presidência da Câmara de Lisboa, surgiram as primeiras notícias de atribuição de casinhas "a pedido", durante o seu mandadato.

Pior foi quando começou a observar-se um fenómeno insólito:
Numerosos habitantes da capital tinham por hábito cantarolar, tanto nos seus lares (mais exactamente no chuveiro) como nos seus postos de trabalho, esta velha cantiguinha.
Veio a saber-se que, afinal, o falecido Krus Abecassis tinha ensinado a música a cerca de 200 lisboetas.
Aquilino Ribeiro Machado fez o mesmo a 75.
Parece que ligava pouco à música portuguesa.
Santana Lopes distribuíu 155 discos em vinyl com o velho êxito da Milu.
Jorge Sampaio, como bom melómano, entregou 153 pautas e mandou os felizes contemplados aprender a tocar piano.
Não sabemos se os instrumentos faziam parte da oferta.
Carmona Rodrigues atribuíu 112 maquinetas de karaoke com a versão dos Xutos e Pontapés.
António Costa, porque não lhe deram tempo, limitou-se a oferecer 69 CDs remasterizados do mesmo tema.
Para as senhoras, cada CD era acompanhado de um botão de rosa.

Entrtanto, parece que certas casinhas, sendo na verdade autênticos palacetes, não possuíam as convenientes condições acústicas para ali se cantar.
O que levou os inquilinos a solicitar as obras que se impunham.
Fizeram eles muito bem.

O que já me parece um pouco estranho é o assunto ter desaparecido dos jornais enquanto o diabo esfrega um olho.
Inclusivamente, aqueles fazedores de opinião que costumavam cantar em voz alta enquanto teclavam nos respectivos computadores, passaram a fazê-lo em surdina e isso quando não há colegas por perto.

Consta que são efeitos da gripe sazonal.
Pode ser.

************************

17 comentários:

Maria disse...

Do mais inteligente e arguto que li sobre a questão....
Será que os jornalistas (alguns!) ou familiares também receberam discos de vinil ou CDs?
Será gripe? Será gente? Gente não é certamente, e a gripe não dá assim...
:))))
Excelente, Ana!

Beijinho

Ana disse...

Maria:
A menina é pior do que o Lucky Luke.
Ou seja: muito mais rápida do que a própria sombra...
Enquanto fui almoçar, já cá tinhas posto este simpático comentário:)))
Nem houve tempo para colocar a "errata" em primeiro lugar, livra!

A falar verdade, eu também tenho uma certa desconfiança relativamente ao surto gripal...

Mas os eleitores, Senhor,
porque lhes dais tanta dor,
porque padecem assim?.....

Ai, ai.

Beijinho

Ana disse...

AVISO À NAVEGAÇÃO:
Após várias tentativas para editar o texto, o YouTube fintou-me sempre até eu me dar por vencida; e a minha vida não é só isto.

Além de duas gralhas( "mandadato" e "entrtanto") faltou-me mencionar as 280 edições de luxo do single, mandadas entregar por JOÃO SOARES a quem as tinha encomendado prèviamente.

Logo havia de me ter escapado a referência à melhor oferta de todas!!!!!!!!!!!!!!!!

FALHAS IMPERDOÁVEIS, eu sei.
Queiram desculpar

salvoconduto disse...

E para a minha jukebox que está a precisar de conserto?

Raios, Valentim Loureiro aqui só está nos electrodomésticos!

Às tantas vou pedir ao BB para me fazer uma nova letra, para o Valentim, a música certamente será a mesma.

Luis Eme disse...

quando começaram a misturar os ateliés de artistas plásticos e as salas de teatro, percebi logo que se tratavam das manobras de "intoxicação" do costume...

ao que consta há muito mais gente conhecida, "rendeira" da câmara, em casarões de mais de quatro assoalhadas, por rendas inferiores a 300 euros...

abraço Ana

poetaeusou . . . disse...

*
gostava de saber qual foi
o lapis azul, que passou
esta canção no tempo do botas,
para vir cair nesta gentinha,
andei eu de braço erguido a cantar,
lá vamos cantando e rindo,
levados, levados sim, e nem
um T-6, me deram nas amoreiras,
vou emigrar para a austria
,
prontes e prontes . . .,
brisinhas, deixo,
.
*

Cris Caetano disse...

E sabe-se lá Deus Dos Computadores porquê, mas não aparece o vídeo pra mim, aliás, hoje, não aparece nenhum vídeo da tua página. Sim, o problema é meu! :(
Amanhã volto para comentar.

Beijinhos

Ana disse...

Salvoconduto:
Estou certa de que toda esta musicalidade se estende de norte a sul do país, embora ouça dizer que deu mais forte em Lisboa.
De certeza que, com a palavrinha certa, o Major providenciará uma nova jukebox. Ou melhor ainda:
uma aparelhagem novinha em folha.
O problema com as letras do BB é que ele e o Major não jogam no mesmo clube...

Abraço

Ana disse...

Luís:
Quatro assoalhadas, dizes tu?
Upa, upa!
Há muito atelier que se transformou em habitação e até já se sub-alugou a terceiros.
Só o palacete pombalino onde está instalada a ILGA é algo que merece ser visto.
Mas, tal como andam as coisas, deve ser considerado de "utilidade pública". Belo espaço para celebrar "casamentos", posso garantir.
Cabem à vontade todos os convidados do noivo e do noivo (ou da noiva e da noiva).
Mas isto são outras conversas, ainda que relacionadas com os singles entregues pelo João Soares.

Abraço

Ana disse...

Poeta:
Para a Áustria? E logo agora que o Haider entregou a alma ao Criador?

Se calhar foste modesto no pedir.
As Amoreiras já estão muito congestionadas e 6 assoalhadas também não chegam para nada.
THINK BIGGER!

ABRAÇO

Ana disse...

Cris:
Quando o YouTube decide ficar do contra não há nada a fazer.:)))

Beijinho

daniel disse...

Ana

Todos bons rapazes, até governaram a cidade mais suja do país!...
Tinham muito trabalho a cuidarem do futuro!...
Deles próprios, entenda-se.
Daniel

Cris Caetano disse...

Voltei!!! Já posso ver e ouvir!!! Eu conhecia essa música num rock mais pesado !!! ;) Isso é o que eu chamo de musica em progressão aritmética.

Ah, e sabes do que me lembrei que quero te perguntar? Qual o nome da atriz, contemporânea dessa, que cantava :"Ai varre, varre... não sei-o-quê o dedal..." Não consigo me lembrar seu nome, está na ponta da língua, mas não sai. É "qualquer-coisa" Costa, não é?

Beijinhos

Ana disse...

Daniel:
Infelizmente sou forçada a concordar com a classificação de Lisboa, no que à sujidade diz respeito.

Quanto ao resto, desconfio que continuarão a fazê-lo mais ou menos encapotadamente...

Abraço

Ana disse...

Cris:
"Ai chega, chega
chega, chega ó minha agulha
Afasta, afasta,
afasta, afasta ó meu 'didal'"...

Era a Beatriz.
Costa de apelido, mas não aparentada com o nosso actual presidente da Câmara...
Pelo menos que se saiba:)))

A versão da "Minha casinha", que conhecias, deve ser a dos Xutos e Pontapés.

Beijinho

Cris Caetano disse...

Iiiiiiiisso! Xutos e Pontapés! E não é varre, varre! hehe Beatriz Costa!!! Obrigada

Beijinhos

Ana disse...

Beijinho, Cris:)