terça-feira, 1 de julho de 2008

UM PAÍS DE PERNETAS

A quem comprar os jornais de hoje, salta-lhe logo à vista dois grandes títulos de primeira página:
"ARQUIVADO CASO DA FRUTA".
"ARQUIVADO CASO MADDIE".

Abrindo os jornais, constatam-se as razões que levaram aos arquivamentos:
Tanto um processo como o outro «NÃO TINHAM PERNAS PARA ANDAR».

E é isto, sistemàticamente.
O processo da fruta não tinha pernas para andar.
O caso Maddie não tinha pernas para andar.
A própria Maddie, pobre dela, há muito que já deixou de ter pernas para andar.
A P.J. não teve pernas para andar.
O Ministério Público bem cedo se declarou a si próprio sem pernas para andar.
(Gordon Brown encarregou-se de manejar o cutelo)
Diàriamente constata-se que a maioria dos tribunais não tem pernas para andar.
A Justiça, consequentemente, ressente-se e só a muito custo consegue arrastar-se.
A Saúde apresenta-se entrevada.
A Educação sofre de poliomielite aguda.
Os contribuintes, por sua vez, de tão sobrecarregados, já só conseguem andar apoiados em muletas.
.
Singularmente (ou não) parece que as únicas pernas saudáveis são as dos marginais, assaltantes, corruptos, contrabandistas, pedófilos, assassinos, carteiristas, violadores,, traficantes, ladrões, caloteiros, vigaristas e companhia ilimitada.
.
E é assim: O cidadão honesto que quiser continuar a mexer-se com agilidade vai ter de parar um bocadinho para pensar.
E depressa chegará à triste conclusão de que, se não quiser fazer parte do grupo dos pernetas, muito provàvelmente terá de alterar as suas opções de vida e MUDAR DE CAMPO.
.
Ingressando na supracitada COMPANHIA ILIMITADA
.
.
***********************************

12 comentários:

Joana Morais disse...

Genial Ana, gostei muito.
um abraço e obrigada por me agregar nos seus links;)

CARTEIRO disse...

Andar com pedras no sapato já é, só por si, um exercício doloroso.
Se por cima se é perneta, então nem meio caminho temos andado...
O retrato do país é duro mas correcto. Com o toque humorístico que sabe bem ler e nada retira à seriedade da análise.

Parabéns, Ana.

poetaeusou . . . disse...

*
não entendo o teu post,
o que está descrito decorre
no Zimbabué do Mugabe … será ?
,
conchinhas em forma de G-3
,
*

Cris Caetano disse...

E a gente se agarra aonde pode com as pernas bambas...
Beijinhos

Ana disse...

Joana Morais:
Fico muito contente com a sua visita.
Eu sou uma leitora fidelíssima do seu blog que consulto diàriamente, embora não me lembre se lá deixei algum comentário.
O caso Maddie nunca deixou de me apaixonar, intrigar e indignar.
Muita da informação que obtive, veio directamente do seu trabalho.
Bem haja, Joana.

Beijinho

Ana disse...

Carteiro:
É realmente uma visão demasiado negra da situação.
Acontece que há ocasiões em que dá vontade de "pôr a canastra no chão"...
Nenhum destes arquivamentos constitui qualquer surpresa, mesmo que não tenham sido ainda oficialmente anunciados.
Mas, sentirmos confirmadas as nossas piores suspeitas, não alegra nada.
Seguir-se-á o processo Casa Pia.
E é um desconsolo, para empregar uma palavra suave.

Abraço

Ana disse...

Poetaeusou:
Admito ter carregado nas cores...
Mas aquela recente agressão aos juízes podia perfeitamente ter-se passado no Zimbabue.
Se calhar, sendo lá, os agressores não se teriam ficado a rir, nem às mãezinhas seria oferecido tempo de antena na televisão...
Digo eu:)

Abraço

Ana disse...

Cris:
E como tu deves saber!
Mas olha que Portugal aprende muito bem «certas» lições que nos chegam de fora:))

Beijinho

Maria disse...

Prefiro pertencer à família dos pernetas, como imaginas....
Aguçado, este post.. :))))

Beijinho

Ana disse...

Maria:
Sabes o que te digo?
É que ter princípios começa a ser uma grande chatice...

Beijinho

Inspector Serôdio disse...

Eu até estava tentado a concordar com o seu post, mas depois da entrevista de ontem do Zé, já não sei...

Mas vá lá, parece que as próteses (ainda) são dedutíveis no IRS!

Ana disse...

Inspector Serôdio:
Muito bem lembrada a dedução das próteses:))
Já é uma ajuda.
Tenho de confessar que não ouvi o seu amigo Zé.
Há um defeito qualquer no meu televisor que faz baixar auomàticamente o som, de cada vez que a imagem dele aparece.
Tenho de levar o aparelho ao representante.

Abraço