sexta-feira, 6 de março de 2009

POEIRA DE ESTRELAS - II

AN AMERICAN IN PARIS - 1951
(Um Americano em Paris)

REALIZAÇÃO - Vincent Minnelli
PRODUÇÃO - Arthur Freed
DIRECÇÃO MUSICAL - Saul Chaplin
COREOGRAFIA - Gene Kelly
MÚSICA - Georges Gershwin
LETRAS - Ira Gershwin

Nomeado para 8 Óscares, premiado com 6:
MELHOR FILME - Arthur Freed
MELHOR ARGUMENTO - Alan Jay Lerner
MELHOR DIRECÇÃO MUSICAL - Saul Chaplin e Johny Green
MELHOR GUARDA-ROUPA - Orry-Kelly, Walter Plunkett e Irene Sharaff
MELHOR CINEMATOGRAFIA - Alfred Gilks e John Alton
MELHOR DIRECÇÃO ARTÍSTICA - Preston Ames, Cedric Gibbons, Keogh Gleason, Edwin B. Willis.

ELENCO:
Gene Kelly, Leslie Caron, Oscar Levant, Nina Foch e Georges Guetary.

Música eterna...

BOM FIM DE SEMANA.

**************************

16 comentários:

Maria disse...

Definitivamente, Ana, não andámos juntas na escola, mas os gostos em termos de filmes da época :) são os mesmos...

Beijinho

poetaeusou . . . disse...

*
leslie caron
,
recordo a Lili,
vi 4/5 vezes . . .
,
conchinhas,
,
*

Ana disse...

Maria:
Pois não andámos (eu estudei no Porto) o que não quer dizer que não tenhamos umas tantas afinidades, políticas à parte. :))) :)))
:)))

Beijinho

Ana disse...

Poeta:
Da LILI,(hi Lili, hi Lili, hi lo...) lembro-me muito bem.
E também da GIGI que era um filme lindíssimo.
Por falar nisso, uma boa ideia para eu ir procurar ao YouTube...

Abraço

correio-mór disse...

Este Gene Kelly é o homem que modificou o provérbio.
Graças a ele, podemos passar a dizer que quem anda à chuva...canta.

Duarte disse...

Se não te conhecesse tinha que descobrir-te. Estou maravilhado com as explicações que me dás, queridíssima Ana. Obrigado.

Um bom filem.
Gosto dos filmes musicais, especialmente, e de tudo o que é cinema, menos daquilo que o quer ser e não chega, e tenho que sair antes que apareça a palavra FIM.

Um bom fim de semana para ti e beijinhos.

Ana disse...

Correio-mór:
Parece-me que ele só modificou o provérbio para ele próprio.
Se bem que o Paulo Pedroso também lhe deu a volta, muitos anos depois...
E mais uns tantos que bem conhecemos.

O Zé (o do Bordalo) é que, a cada aguaceiro, fica feito num pinto.
E não há volta a dar.

Abraço

Ana disse...

Duarte:
Que me lembre, foram poucas as vezes que saí a meio dum filme.
Aguento firme, até acabarem de passar os créditos finais.
Geralmente sou das últimas, senão a última a saír da sala... para desespero das empregadas de limpeza que dispõem de pouco tempo entre uma e outra sessão...

Uma pessoa quanto mais anos acumula, mais coisas tem para recordar...

Abraço

cartilheiro-mór disse...

Ana,
Ao Zé (do Bordalo)resta-lhe o recurso do manguito.
O outro Zé(Cuscopos)afoga as mágoas na pinga.
Os analfabetos que redigiram os textos do Magalhães nadam no mar da ignorância.
E não há quem malhe nesta gente?

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Mais uma pérola de bom gosto!

E, respondendo ao nosso amigo correio-mór, a Ana malha bem neles.

Há, até, quem diga que a Ana Malhou-a!

À nossa!!!

Hic Hic Hurra

Ana disse...

Cartilheiro-mór:
Como já tínhamos (ou "tìnha-mos", como se lê nestas instruções) uma certa simpatia por "Espanholês", "Politiquês" e "Futebulês", chega-nos agora o "Magalhanês"...
É bonito.
E apresenta-se bem.

Relativamente a uma das frases assinaladas por estes picuínhas que já se apressam a denegrir a qualidade da tradução - "CARREGA EM QUALQUER ELEMENTO QUE TEM UMA ZONA LIVRE AO LADO DELE, ELE VAI IR PARA ELA" - é que seria de toda a conveniência um alerta para "ELA": que tome as suas precauções visto que há "ELES" que não merecem a menor confiança.

Ainda temos um terceiro Zé que suspeitamos ser o verdadeiro padrinho do pequeno Magalhães.
Esse faz-nos o manguito a nós, com todo o cinismo de que é capaz.

E assim vamos, cantando e rindo.

Abraço

Ana disse...

Caro vizinho Zé:
Se mais cedo tínhamos falado em si, mais depressa aparecia...

Já que deixei, há alguns anos, de "malhar" (na aeróbica), resta-me fazê-lo verbalmente, o que já tencionava, relativamente a este assunto.
Mal se acabe o fim de semana, entenda-se, que não me pagam horas extra.

Eu julgava que essa da "Ana Malhou-a" era da autoria dum tal Evaristo de má morte com quem ainda tenho umas contas a ajustar.
Assim se vê como surgem os boatos na net.
Cruzes!

Mais vale uma pessoa virar-se mesmo para o tinto.

À vossa!

Duarte disse...

Tampouco é frequente, pois também sou dos que gosto de admirar até o último detalhe e muitas vezes com êxito pois acaba por aparecer um credito que ninguém esperava. Mais ainda se o filme é bom e então fico como que a saborear o que acabo de digerir.

Beijinhos e que tenhas um bom dia, ainda que penso que todos os dias o são, para uma mulher como TU. FELICIDADES.

Ana disse...

Duarte:
Aqui está mais um homem que se lembra do Dia Internacional da Mulher, da forma mais simpática.
Obrigada.
São palavras de amigo, que registo.

Os "Dias Internacionais" não me dizem grande coisa.

Este foi criado em 28 de Fevereiro de 1909, nos Estados Unidos.
Na década de 60, o Movimento Feminista revitalizou-o.

Anos mais tarde, em 1975, passaria a ser patrocinado pela ONU, tendo sido escolhido o dia 8/03 em homenagem a uma grande manifestação de operárias da indústria têxtil nos EU.
Mas as coisas não se passaram exactamente como hoje são propagandeadas, quando dizem que essas mulheres foram trancadas num edifício e queimadas vivas.

Deixo-te aqui dois links relativos aos acontecimentos.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Inc%C3%AAndio_na_f%C3%A1brica_da_Triangle_Shirtwaist

.
http://pt.wikipedia.org/wiki/
Dia_Internacional_da_Mulher

Um beijinho para ti.

Cris Caetano disse...

Eu adorava os filmes de Gene Kelly. E pensar que assistia isso nos tempos da ditadura no Brasil na ¨Sessão da Tarde¨, na TV, agora não há nada disso, a minha geração foi sortuda em relação à cultura, apesar da ditadura.

Beijinhos

Ana disse...

Cris:
Apesar de também ter havido uma censura prévia por cá, grande parte dos filmes que vi na infância e juventude, eram "inofensivos" e por isso passavam, com mais corte ou menos corte. Quando mal, nunca pior...

Beijinho