sexta-feira, 20 de março de 2009

PESCARIAS EFÉMERAS

A notícia omite a origem do peixe apanhado no anzol da PSP, dizendo apenas que se trata de "estrangeiros" .
Desta forma nos deixam a fantasiar sobre a nacionalidade de tanto mulherio e tanta criançada apostada em assaltar, por aí, residências de pessoas incautas e clientes de caixas multibanco.
Não sei porquê, palpita-me que aquilo é gente que vem da Islândia a fugir à bancarrota.
Tudo muito lourinho, muito olho azul.
Sempre desconfiei dos povos que se dizem evoluídos. No limite, acabam a comportar-se como bandidos do piorio.
Já se sabia que as vendas do Borda d'Água tinham caído a pique e o resultado foi verem-se obrigados a pôr os miúdos a render, enquanto se encontravam dentro do prazo de validade (leia-se: antes de completarem 16 anos).

Aliás, um pormenor curioso e nunca revelado é a forma encontrada pela nossa polícia para chegar à conclusão de que está a lidar com menores de idade, uma vez que, a haver documentos, a sua genuinidade é mais do que duvidosa.
Mas, se calhar, eu é que sou preconceituosa e haverá por lá alguma maquineta sofisticada que lhes analise os fémures e debite, a seguir, dados infalíveis.

E depois?
Depois serão presentes a Tribunal por SUSPEITA de vários crimes.
SUSPEITA, disseram?

Sim, Senhor Doutor Juíz. Nós estamos informados de que, por força das leis vigentes, vai ser obrigado a pô-los a todos cá fora, outra vez.
Por acaso, elas (as senhoras loirinhas e as crianças de olho azul) também estão fartinhas de saber.
E gostam muito de viver no nosso país.
Ora se gostam!

Eu, para ser franca, é que já gostei mais.

************************************

14 comentários:

Maria disse...

A pescaria de hoje daria pano para mangas, Ana...
Provavelmente não vêm só a fugir da Islândia :), mas concordo com os loirinhos de olhos azuis, que aprendem a nossa língua rapidamente.
E esta questão de emigrantes e imigrantes tem sempre que se lhe diga... digo eu...

Beijinho

Pedro disse...

Ana

Mas que gralha infame foi essa do jornalista ao ter escrito a palavra "estrangeiro"! É uma cabala da extrema-direita bem por certo!
Deixa-me então "cabalizar" um pouco e acrescentar uma gralha ao teu texto: no lugar de "postoscá fora..." eu poria "postos LÁ fora". É só uma questão de põrmenor digo eu. Uma gralhinha de apenas um carácter...

poetaeusou . . . disse...

*
será que o Mário Machado,
deveria ter olhos azuis ?
e como pode ser ariano
se tem olhos escuros ?
e se as pescas estão em
extinção onde a PJ adquiriu
os anzóis ?
e se as louras são . . . louras,
como conseguem alourar os "mans"?
e quando toma posse de Provedor da
Justiça, o Adalberto do Funchal ?
e quem apoio o Hugo Chavez á
Camara Municipal de Lisboa, para
eu ver o outro dar á Costa ?
e se tu me mandasses á outra
Banda, ver se já foi inaugurada
a ponte entre o Bugio e a
Costa do Vapor ??? srsrsr,
,
conchinhas de amizade, deixo,
,
*

Ana disse...

Maria:
Como sabes, há INIGRANTES (a quem tiro o meu chapéu) e imigrantes que eu gostaria de ver corridos daqui, com um pontapé no traseiro.
Entre estes últimos, figuram os - as - que "limparam" o apartamento a uma sobrinha minha na noite de Natal, enquanto ela estava a jantar cá em casa.
E as criancinhas (7 no total) que, na passada semana, rodearam a minha filha mais velha, quando ela retirava dinheiro duma caixa ATM, sacaram as notas e fugiram a seguir.
Feita a queixa na esquadra, a resposta foi: "Nós até sabemos quem são mas não se pode fazer nada porque são menores"...
A queixa por escrito lá ficou para ser encaminhada para a "cesta seccção"...

Provavelmente nem a minha sobrinha deveria ter saído de casa naquela noite, nem a minha filha ter ido levantar dinheiro naquele local.
E eram menos duas ocorrências.

Não estamos aqui a falar de imigrantes trabalhadores, evidentemente.
A menos que isto já seja considerado trabalho.
Não só NOVAS OPORTUNIDADES, como OPORTUNIDADES PARA OS MAIS NOVOS...
E depois é racismo chamar os bois pelo nome...

Às vezes dá vontade de arriar a jiga...

Beijinho

Ana disse...

Pedro:
Ora aí está: se nem a palavra "estrangeiros" tivesse aparecido na notícia já ficaríamos todos muito mais descansados.
E eu não tinha escrito o post...

Mesmo com a tua gralha, a situação não se remediava.
Este pessoal "loirinho de olhos azuis" é lesto a deslocar-se em caravanas, duns países para os outros, quando pressente que está menos à vontade para levar a cabo as suas malfeitorias.

E não são as câmaras de vigilância que vão a correr atrás deles...

Ai Schengen duma figa!

Abraço

Ana disse...

Poeta:
Eu nunca te vou mandar à outra banda, ora essa!
Este espaço é como o de Schengen:
livre para todos os comentáros poderem entrar (e saír, em casos extremos)...
E os amigos nem sempre têm opiniões coincidentes com as nossas, como muito bem se sabe...

O Mário Machado continua a ser um bom prato para abrir telejornais, olhos azuis ou castanhos, se mais não fosse, pelas belíssimas tatuagens que exibe.
E o homem, volta e meia pôe-se a jeito...

Estas "louras" ensinam aos rebentos (que nem sempre são seus, mas isso já nos levaria muito longe) a arte de deitar a mão ao alheio, desde a mais tenra infância.
À medida que crescem, as criancinhas tornam-se verdadeiros especialistas.
Mais ou menos como acontece nos circos.
A diferença é que, destes, saem artistas na verdadeira acepção da palavra e, na generalidade, pessoas de bem..

O Adalberto do Funchal é capaz de ser um bocadito mais racista que esta tua amiga, vistas bem as coisas...

Abraço

correio-mór disse...

Isto só mudaria se os familiares das EXCELÊNCIAS que nos governam sofressem na pele como o comum dos mortais.
Porém, os senhores que nos governam, os que fazem e os que aplicam as leis estão bem protegidos.
Uma velhota foi roubada, agredida e deixada quase nua, na rua, amarrada a uma cadeira.
O autor da delicada atitude foi identificado, preso, mas logo solto por não ter sido apanhado em flagrante.
E já ameaçou quem o identificou.
Sorriam, é Portugal!

Cris Caetano disse...

Ohhh... boei, que pena. :(

Maaas, beijinhos e desejos de um ótimo fim de semana. :)

Ana disse...

Correio-mór:
Todo este pessoal "pescado" na operação da PSP parece que se dedica sobretudo a furtos e não se insere (ainda) na chamada criminalidade violenta.
Mas é dar-lhe tempo, que lá chegará.
A impunidade sempre dá os seus frutos e cá estaremos nós para os provarmos.

O caso que cita é mais um exemplo de como esta sociedade se encontra desumanizada.
Hoje, ninguém pense estar ao abrigo da violência gratuita.
Só quem andar de guarda-costas atrás e disponha dum agente da PSP a guardar-lhe a porta.

Quem diz a porta, diz as portas, como é o caso do Dr. Mário Soares.
Também para isso serve o dinheirinho dos nossos impostos.

Abraço

Ana disse...

Cris:
Ainda não chegámos ao nível de criminalidade que se verifica no Brasil, é certo.
Mas... devagar se vai ao longe.

Ou, se calhar, nem vai ser assim tão devagar.
Também já estamos muito bem servidos de "pivetes".
Como sabem que não podem ser presos, é um ver se te avias...

Beijinho

Duarte disse...

Reconheço que estou fora de contexto, mas lá me vou informando ao passar por aqui.
Obrigado

Beijinhos

Ana disse...

Duarte:
Vou ter de me "descoser"...

A notícia dizia respeito a um bando de ciganos romenos que vive roubando e assaltando casas, servindo-se de crianças para o efeito.
Sabem muito bem que os menores nunca podem ser presos ou condenados.

Na resposta que dou à Maria, aqui em cima, podes ler dois casos ocorridos com família minha.

Acontece que há associações contra o racismo que sempre protestam quando as notícias referem a raça ou a etnia dos criminosos...

Haja paciência para esta gente!

Abraço, Duarte.

Maria disse...

Ana

Agora não vou brincar, vou falar muito a sério.
Das 3 vezes que fui assaltada, em casa ou por esticão, foram sempre brancos portugueses que estiveram em acção.
Na última vez, havia um carro de brancos, portugueses, vizinhos, que me espiarem durante um tempo (suponho) e depois quem actuou foram 3 rapazes café com leite. Nem os ouvi falar, ou por ter entrado em choque ou porque não falaram. Dois carros. Quem conduzia os carros eram branquelas, portugas. Que depois "arregimentam" outros - não importa quem - para consumar o assalto.
O carro que esteve de vigia à minha porta é um carro daqui, e tinha um casal de jovens lá dentro. Que viram que eu chegava sozinha. Que me andaram a vigiar, os meus movimentos, a minha vida, e eu não dei por nada. É isto que me assusta. NÂO DEI POR NADA! E que chamaram o outro carro - com os tais café com leite e um branco a conduzir.
Que fez a polícia? Interrogou-me até à exaustão, quando eu estava em choque e toda baralhada, e depois fez ZERO.
Não me quero lembrar mais disto. Mas também não quero esquecer...
As formas subtis que têm de assaltar pessoas, e que cada vez são mais sofisticadas, é que me perturbam.
Alguém a vigiar-me durante X tempo e eu não dei por anda...
Bolas!

Beijinho

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Não posso!!!

Há gamanço em Portugal?!!!

E não é só na final da Taça da Liga de futebol?!!!

A minha alma está desgrenhada e o meu cabelo parvo!!!

Mas se eu ainda há pouco ouvi o Senhor Ministro da Administração Interna a dizer que os índices de criminalidade estão normais para esta época do ano...

À Sua!!!

Hic Hic Hurra