terça-feira, 10 de junho de 2008

O DIA DA RAÇA

Em estado de choque.
Foi como eu fiquei ontem, ouvindo o senhor presidente a deixar saír aquele sacrilégio pela boca fora!
Hoje, entretanto, já tenho motivos para rejubilar:
Nem o Bloco nem o PCP andavam a dormir na forma, haja Deus.
Assim, espero que, para além das obrigatórias explicações aos nossos representantes na A.R., seja o supremo magistrado da Nação obrigado a lavar a língua com sabão Clarim e colocado, a seguir, virado para a parede, a escrever a frase "25 de Abril sempre, fascismo nunca mais". Num caderninho de linhas.
365 vezes, que é para ver se aprende.
Apre!

E POR FALAR EM RAÇA, RACISMOS E QUEJANDOS

Passo na avenida da República e dou de caras com um daqueles telões que tapam um prédio de 15 andares, inteirinho.
Ali está, agigantada, a nossa divindade suprema, arvorando cara de poucos amigos, a ilustrar duas interrogações:
"Quando é que é suficiente?
Quando fazemos «shoarma» dos turcos?"

«Shoarma», esclareço os menos atentos, é uma receita que leva:
Carne de borrego partida em pedacinhos; sal; cominhos; alho; açafrão; gengibre; pimenta preta; paprika; canela; sumo de limão; banha.
Frita-se a carne, temperada com toda aquela tralha e serve-se dentro de uma espécie de pão achatado a que chamam «pita».

Ora pespegar um cartaz destes ali, a chamar a atenção do pessoal passante, é o que se pode chamar uma bela publicidade. E de muito bom gosto.
Mais: é saber estimular da melhor forma o nosso orgulho patriótico.
Eu, se fosse turca, havia de me apetecer pintar logo a cara de preto.
E fica a matar, quando calha a olharmos para ali, justamente no dia da raça.
Oooops, eu disse pintar a cara de preto? E escrevi raça? Raça de palavras que, sem querer, se nos colam no subconsciente!
Vou ter que me auto-punir:

Bibá selecção!

*****************************

12 comentários:

Pedro disse...

Mas que rebuscada a graçola da ala futeboleira da nação à selecção da Turquia! Isto é que é um povo duma raça... Ai, perdão que raça não se pode dizer... de uma graça! (Que até rima....)

Parabéns pelo re-blog!

CARTEIRO disse...

É o Portugal foleiro que confunde jogo da bola com patriotismo e mercenários com rapazes com amor à camisola.
Mas é o que lhes enfiam pelos olhos e pelos ouvidos, há meses.
É uma tristeza!

CARTEIRO disse...

Ficamos felizes com o regresso da Ana. Fazem-nos falta pessoas com inteligência, bom-humor, imaginação e simpatia.
É um peso que nos tira, AI ANA, DE CIMA...

Cris Caetano disse...

Não se pode dizer "raça"? Daqui a pouco não se abre a boca pra mais nada. Por aqui o céu não fica mais "preto", só fica "negro". Acho esse palavreado muito complicado.
a
E precisava cutucar os turcos com uma vara tão curta? E ainda por cima com a gastronomia? Ah, ficou mal, muito mal. Até que não deve ser ruim a tal Shoarma, mas prefiro um leitãozinho à bairrada. :)

Ah, que bom poder te ler de novo, menina. E és bem bonita, como se vê ali na foto! ;)

Beijinhos

Cris Caetano disse...

P.S: amanhã há jogo novamente e eu daqui vou assistir agarrada ao meu cachecol do Benfica (um amigo quer que eu troque pra Porto). E espero dar novamente os gritinhos de Goool (não é Golo) enquanto meu Sasha me olha meio assustado. ;)

Beijinhos

poetaeusou . . . disse...

*
ao fim de tanto tempo
de te ler,
pela primeira vez
vou discordar,
complexos do estado novo
tem que acabar,
e continuar
esta raça portuguesa,
integrando toda as cores
credos e etnias
vamos acabar com as manias,
de todos os partidos
moralizantes
e que são todos . . .
que continuam com
os fantasmas do antes,
a direcção do BE
só esquimós e negros
tem mais de mil,
no comité dos camaradas,
gentios da ilha de pascoa
e da samoa são cento e dez
para o avô do quaresma,
já não há lugar,
até do alem, enviou-me
um fax a minha avó,
é pá diz ao paulo portas,
para correr com narana coissoró,
´
nehehehe
aguenta, amiga,
,

e arriba espanha,
e a suas cantadas
raças autonomas,
a nação catalã,
basca, galega,
andaluzia gitana,
e cuidado amigos,
quando os intelectuais
de castela, hablan em portugal,
dizem, nação lusa,
tieno una pesera
pero tiene un franco ....
,
um abraço ao,
jerónimo e ao francisco louça,
,
conchinhas saudosas para ti,
,
*

Ana disse...

Pedro:
Provàvelmente haverá outros cartazes noutros locais, igualmente inspirados e interessantes:))
Mas este estava no meu percurso e deu-me logo no goto...
E até deu para versejares, estás a ver?

Obrigada e um abraço

Ana disse...

Carteiro:
Estes rapazes com amor à camisola devem ganhar quase tanto, ou mais, com a sua imagem, como a pontapear nos relvados...

Até conheço umas pessoas com casa em "Ai Ana", só não estou certa se é na de cima...
O meu amigo continua mestre no trocadilho...
É uma das coisas que muito aprecio nos seus posts.
Fico grata pelas palavras elogiosas de que não me acho merecedora.

Abraço

Ana disse...

Cris:
Tadinho do Sasha:))
Deve pensar: "estes humanos são loucos"...
Está neste momento a decorrer o Portugal - República Checa.
Eu torço mas não assisto.
Quando se levanta um grande alarido na vizinhança, sei logo que foi Gooool...

A dita Shoarma nunca provei; mas só por falta de ocasião.
Já o leitãozinho... nunca me escapa, quando passo pela Bairrada:))

Beijinho, Cris e obrigada.

Ana disse...

Poeta:
Mmmmm, tens então uma avó que te envia mensagens do além...
Ora essa sorte não tenho eu.

Sim, podes ficar descansado que, assim que me encontrar com algum desses teus dois amigos, pespegarei, da tua parte, um sonoro beijinho na respectiva face.

Abraço

Maria disse...

Tenho que admitir que já tinha saudades (tantas) destas prosas...
As pessoas revelam-se. Às vezes lentamente, muito lentamente....

Beijinhos

Ana disse...

Maria:
Vamos a ver se as prosas saem com regularidade.

Aquilo é que foi uma revelação fascistóide, hã?
Espero que os castigos por mim sugeridos sejam suficientes:))))

Beijinho