segunda-feira, 15 de junho de 2009

Mahmoud Ahmadinejad ganhou as eleições com a confortável percentagem de 62.63% dos votos.
Mirhossein Mussavi, seu mais forte opositor, quedou-se pelos 33.75% e dos fracos restantes, a História pouco reza.
Verdadeiramente invejável foi a afluência às urnas, embora esteja por se saber a quantas chibatadas corresponderia circular na via pública, depois do fecho das urnas, com os dedos indicadores sem vestígios de tinta.
O reeleito presidente dirigiu-se então ao mundo, do alto do seu metro e meio, irradiando (literalmente) luz do seu sorriso, enquanto declarava que "a eleição foi verdadeira e livre" e que "os iranianos derrotaram todos aqueles que lhes queriam mal".
Inch'Alah!
Para o tumultuoso desagrado dos que contestam na rua os resultados, lá está a polícia que há-de chegar para eles, conduzindo ao xilindró quem não tiver maneiras.
E, não fosse o grande Satã tecê-las, foi decretado o bloqueio de todos os acessos ao YouTube e ao Facebook, bem como aos sites ligados à oposição, no exterior.
O mesmo, relativamente a mensagens de SMS, ligações de telemóvel e até da rede fixa, na região de Teerão.
Aprende, Sócrates, que Ahmadinejad não dura sempre.

A claque vencedora juntou-se depois numa discoteca da capital a festejar, abanando o capacete, até o Muezzin chamar para as orações da manhã.
Observando o comportamento dos foliões, percebe-se melhor porque foi avisado bloquear o acesso às imagens do Youtube.

ALLAHU AKBAR!

***********************************
Vídeo amavelmente cedido por A.Leitão, "FOTOS DO TEMPO"

************************************

18 comentários:

Vota abaixo disse...

In illo tempore, o tio António de Oliveira, para evitar ao povo a maçada de votar, oferecia-lhe um partido único, a escolha estava previamente feita, não eram precisas sondagens, tudo corria na paz dos anjos.
E o povo, mal agradecido, à boca pequena, entre a bica e o bagaço, conspirava, contestava, reclamava (baixinho) o supremo direito ao voto, esse admirável emblema e arma da democracia.
Depois, é o que se vê, urnas às moscas e praias cheias.
Este nosso povo talvez não mereça a democracia, mas a indiferença resulta (em boa parte) do facto de ninguém acreditar nos políticos que são os grandes beneficiados com o 25 de Abril.
O que se passa no Irão mostra que para haver democracia não basta abrir urnas e distribuir papelinhos de voto,longe disso.
A farsa, no Irão e noutros Irões, está longe de AKBAR...

Maria disse...

Xiii, o que eu tenho que ler por aqui abaixo...
Abençoada ilha onde dificilmente há rede de telemóvel, onde a TV está desligada, onde a net portátil nos prega partidas. Mas sinto-me completamente ignorante em relação ao que se passou aqui e no mundo, LOL!
Até já, Ana.

Beijinho

Cris Caetano disse...

Li hoje no jornal daqui que o líder supremo do Irã, ordenou que se investigue a possível fraude... mas sei lá, não estou muito otimista.

Beijinhos

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha Ana,

Desconfio que no Irão, lugar de muito pastorícia, foi mais de um voto por mão, talvez haja caso de polícia.

Convoquem especialistas por favor, a investigação que se abra, descubram qual foi o pastor, que deu um voto por cabra.

Democracias assim há aos pontapés, daquelas onde "eles" comem tudo, exemplos tristes de lés-a-lés, não é apenas o do Mahmoud.

Quando tudo está tratado, ir votar é apenas pro bono, o destino estava traçado e César já ocupava o trono!

Hic Hic Hurra

poetaeusou . . . disse...

*
"a eleição foi verdadeira e livre"
e foi !!!
no mínimo livrou-se
do Sr. Hussein Mussavi,
,
é Pá,
não podem ver
o meu amigo, Mahmoud,
hehehe,
,
conchinhas, deixo,
,
*

Ana disse...

Vota abaixo,
Acabei de ouvir, na SIC Notícias, um entendido em assuntos do Médio Oriente.
Também no Irão (como no Afeganistão) existe uma organização chamada "Polícia de Promoção da Virtude e Repressão do Vício".
Não é um belíssimo nome?
Os seus agentes andam pelas ruas de chibata na mão, castigando as mulheres que se apresentem vestidas com menos "modéstia".
Saia menos comprida?
Vergastada na perna.
A Márcia Rodrigues que não se ponha a pau...

Lembrei-me agora que nos meus tempos de adolescente (em que estudei num colégio de freiras...) era obrigada a usar meia branca até ao joelho.
O chamado "soquete" (pelo menos no Porto), que era a peúga dobrada no tornozelo, dava direito a falta e proibição de ir às aulas.
Mas nunca levei chibatadas...
Nem sequer uma simples palmatoada, que sempre fui muito bem comportadinha...

E por hoje vou Akbar.

Beijinho

Ana disse...

Maria,
Hoje, precisamente, ouvi na televisão a proposta da "tua ilha" para Reserva da Biosfera da Unesco.

Isso é que é!!!

Felizmente aproveitaram para mostrar umas belas imagens do local, embora perdessem tempo nas trivialidades do costume, fazendo perguntas cretinas a quem nada tem para dizer.

I missed you!

Bom estares de volta.

Beijinho

Ana disse...

Cris,
Esse Imã, que apelou ao voto no actual presidente, merece tanta confiança como o próprio Ahmadinejad (nunca sei se escrevo bem o raio deste nome).
O que me palpita é que essa investigação será mais uma farsa.
Mas que os ânimos estão icendiados, lá isso estão...
Também, por ali, incendiar é fácil:)))))

Beijinho

Duarte disse...

Duvido muito da veracidade desses comícios. Se estão tão seguros de que tudo foi legal que permitam uma supervisão internacional. Quando o povo se expressa assim, razão terá.

Beijinhos

Ana disse...

Zèzito,
Não terão sido apenas as cabras a votar.
É preciso ver que, com aquela polícia de costumes (pior do que a ASAE), as cabras não podem pôr pata em ramo verde.
Serão mais os bodes, se calhar.
E os camelos.
Por ali, aposto que conseguem ser ainda em maior número do que os da nossa margem sul (embora o Lino tivesse pensado o contrário).
Alá seja louvado.

À sua!

Ana disse...

Poeta,
Se calhar "ainda" não se livraram...
Mas um destes dias, se ainda não foi, o homem vai dentro.
E já é meio caminho andado.

Que queres, eu bem tento, mas não consigo achar graça ao teu amigo...
Políticas à parte, nem o Chávez consegue ser tão feio.
E já sei que também este faz parte do teu círculo de amizades:))))

Beijinho

Marta disse...

Saudades de vir aqui Ana!

Vou ler tudo o que me falta; até os teus comentários´- como esse da meia branca, no colégio de freiras, no Porto :) - são deliciosos!

Pico de trabalho; e depois não há tempo para o que mais gostamos de fazer. Demoradamente.

beijinhos

Ana disse...

Duarte,
Não esqueçamos que esse mesmo povo andou a queimar bandeiras e a incendiar consulados por causa dumas caricaturas.
Aquilo é pólvora pura. Basta deitar fogo ao rastilho...

Mas pior do que o actual presidente, o outro não deve ser.
Pelo menos no que diz respeito aos (ali) muito espezinhados direitos da mulher, a atitude é diferente.
E isso já significa muito, em termos de abertura de espírito, naquelas paragens.

Veremos os próximos dias...

Beijinhos.

Ana disse...

Marta,
Também eu tenho andado ao largo, com pouquíssimo tempo para visitar quem gosto de ler.
Hoje ferrei-me a dormir toda a tarde e quando acordei, tinha 5 anos a menos:))))
(era bom, era)

Gostei muito de te encontar por aqui!

Beijinho, Marta.

Luis Eme disse...

o curioso, foi muita gente acreditar que iria haver mudanças na Pérsia de um só xá (to), especialmente na blogosfera...

santa ignorância. ditador que se preze só sai do trono, quando este cai...

beijinho Ana

Ana disse...

Luis,
Fosse eu a Cris e responderia:
Bota XÁ(to) nisso!!!!

Muita gente gosta de se iludir a si mesma.
Parece que a vida não lhe ensina nada.

Aquele só sai quando sentir os "penteados" a arder.
Pois se Alá até deu um jeitinho a favor da sua vitória...

Beijinho

Duarte disse...

As coisas pintam-se feias, pelo pouco que chega aqui. Não me deixam outra opção a partir do momento em que não existe facilidade de movimentos aos jornalistas, algo escondem!

Um forte abraço

Ana disse...

Duarte,
De dia para dia a situação parece complicar-se, embora ainda hoje o embaixador tenha afirmado que, relativamente às imagens transmitidas pelas várias cadeias de televisão, NÃO ESTÁ PROVADO QUE SEJAM DO IRÃO, OU QUANDO FORAM FILMADAS!

É um cómico, o senhor.

Beijinho